BRASIL: "ÚNICO PA͍S NO MUNDO ONDE O POVO QUE É ROUBADO
É O MESMO QUE DÁ PODER AO LADRÃO"
Ações Jurídicas
Artigos
Base Territorial
Convenções e Acordos Coletivos
Convênios
Denúncia contra Bancos
Diretoria
Esportes
Eventos
Fale conosco
Índices de Reajustes Salariais
Links
Localização / sede
Matérias
Notícias
Noticias jurídicas
Notícias RSS
Saúde
Segurança Bancária
Sindicalize-se
Untitled Document
NOTÍCIAS
Gerais
Jurídicas
RSS
Saúde
Segurança Bancária
 Matérias

Confira a última matéria cadastrada:


06/08/2007 - INSTINTOS PERVERSOS...

Dano de baixo valor não contribui para frear ganância.
por Antonio Pessoa Cardoso

Entre os anos de 1993 e 2004, no Superior Tribunal de Justiça, o número de ações reclamando danos morais cresceu de 28 para 8201; nos outros tribunais e na primeira instância deu-se o mesmo fato que não é estranho diante do novo conceito de cidadania consubstanciado na conscientização da responsabilidade civil inserida na Constituição Federal, em 1988, no Código de Defesa do Consumidor, em 1990 e no Código Civil, em 2002. Os desatinos do Estado têm contribuído sobremaneira para esta ampliação, fundamentalmente em função da teoria do risco.

A despeito dessas leis, as empresas não se adaptaram aos novos tempos e caminham por conta própria, violando a Constituição e ignorando os direitos assegurados pela lei consumerista e pela lei civil. Retiram dos armários os contratos de adesão com as mesmas cláusulas reconhecidamente abusivas e apresentam ao cidadão sequioso pelos produtos, anunciados em forte marketing; tratam o assunto como se fosse uma mercadoria, na qual se perde no varejo, mas se ganha no atacado, ou seja, poucos consumidores reclamam e muitos aceitam as imposições das empresas. É que ao consumidor só existe a opção de aceitar o que está escrito para obter o bem ou serviço procurado.

Nos referidos contratos, continuam cobrando multa de 10% e juros estratosféricos; insistem em inserir, sem aviso prévio, o nome do consumidor no cadastro de maus pagadores; interrompem serviços essenciais; impõem cláusulas abusivas no contrato a exemplo da fidelidade, dos encargos não admitidos pela lei; não concedem abatimentos a pagamentos antecipados; jogam no mercado produtos com peso abaixo do prometido, com defeitos, etc.

Para acabar com tais abusos só resta ao consumidor o recebimento de boa prestação jurisdicional, pois os órgãos administrativos, Anatel, Anvisa, Aneel etc., incumbidos de fiscalizar os serviços delegados, não demonstram maior interesse em fazer respeitar o direito do consumidor com enfrentamento dos grupos econômicos.

A ação de indenização por danos morais tornou-se a forma mais correta de punir os exploradores da boa fé do cidadão. Daí o incremento deste tipo de ação, mais pelo descaso das empresas do que por desejo do consumidor que gostaria fosse respeitado seu direito sem necessidade de recorrer à justiça. E o consumidor não deve intimidar-se com afirmações do tipo, banalização da ação de danos morais, mas buscar o Judiciário para reclamar seus direitos.

O dano moral foi erigido à categoria de garantia fundamental através da Constituição de 1988, art. 5º, incisos V e X e pelo CDC, inciso VI, art. 6º. Antes nenhum diploma legal tratava do assunto.

O dano moral tem sido conceituado de várias formas, mas prevalece o entendimento de ser a violação ao sentimento interior do indivíduo com ele próprio e com a sociedade. Portanto, eventual lesão não patrimonial que viole a intimidade do cidadão é passível de reparação em dinheiro. Os tribunais entendem que o dano moral não exige prova, salvo a comprovação “do fato que gerou a dor, o sofrimento”... A caracterização do dano reside no nexo causal entre o ato ilícito e os fatos narrados.

A fixação do valor dos danos morais é matéria bastante polêmica e de competência do julgador que sopesará as condições econômicas das partes, a repercussão do fato, a constância da empresa na prática da lesão e outros elementos. Na verdade, a condenação tem sido bastante módica, sob invocação do impedimento de enriquecimento ilícito; todavia, para fixação do valor, não se deve considerar somente este item, mas equilibrar o não enriquecimento ilícito para o agredido com o choque no patrimônio do agressor. A capacidade financeira do causador do dano não tem sido bem considerada para fixação do valor. É que as empresas preferem pagar os parcos valores arbitrados pelo Judiciário do que se adequar às exigências do Código de Defesa do Consumidor.

Já aprovada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal projeto de lei para tabelar o valor das indenizações. Dividiram-se os danos morais em leves, condenação de até R$ 20.000,00, médios, de até R$ 90.000,00, e graves, de até R$180.000,00. A proposta é questionada em sua constitucionalidade, porque fere o princípio da proporcionalidade, ou seja, impede a avaliação da gravidade de cada caso, a extensão de suas conseqüências e o poder econômico do agressor.

Ainda sobre o dano moral, o Projeto de Lei n. 10.406 de 10/01/2001 acrescenta parágrafo ao art. 944 do Código Civil com a seguinte redação:

Parágrafo 2º - A reparação do dano moral deve constituir-se em compensação ao lesado e adequado desestímulo ao lesante.

Enfim, o parâmetro para a fixação do valor da indenização por dano moral deve ser “nem tão insignificante que não importe em sacrifício para o causador do dano, ou tão elevada que resulte em enriquecimento para a vítima”. O posicionamento dos juizes, arbitrando pequenos valores não tem contribuído para frear a ganância das empresas. Necessária reflexão para que o refrão “enriquecimento ilícito” não seja prêmio aos instintos perversos dos agressores.

Revista Consultor Jurídico, 18 de julho de 2007

Fonte: CONSULTOR JURÍDICO
 Outras Matérias

20/04/2015 - CONVENIO

20/04/2015 - NOVO CONVÊNIO

17/04/2014 - PSICÓLOGAS

04/04/2014 - SANTE'S ESTÉTICA E ACADEMIA

12/09/2013 - PSICÓLOGA - BETSATBÁ SALEM BECK

11/03/2013 - PSICÓLOGO-MADSON

18/04/2012 - Informativo Angulo Cursos.

18/04/2012 - Informativo Angulo Cursos.

19/03/2012 - NOVO CONVENIO

27/04/2011 - Convênio

12/10/2010 - UM HOMEM FICHA LIMPA

19/01/2010 - A NECESSÁRIA DIFERENCIAÇÃO ENTRE A LESÃO CORPORAL E A PRÁTICA DE TORTURA

11/12/2008 - HOMEM É PRESO POR MOLESTAR MULHERES

18/10/2008 - UNIDOS CONTRA A CORRUPÇÃO

30/09/2008 - ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DIA 01/10/2008

30/09/2008 - ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA 01/10/2008

30/09/2008 - ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA 01/10/2008

30/09/2008 - ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA 01/10/2008

28/08/2008 - GENOINO QUER VOLTAR A SER GENOINO

28/06/2008 - 7 MITOS QUE PODEM MATAR

19/05/2008 - SINDICALISMO

21/04/2008 - UMA GRANDE FARRA

20/04/2008 - A ELEIÇÃO DE BERLUSCONI E O FIM DA ESQUERDA

19/04/2008 - REI LULA 1º

02/02/2008 - BRIZOLA: UM EXEMPLO IMORTAL

14/01/2008 - "LULA ESGOTOU-SE"

14/01/2008 - OS CREIMES VERDADEIROS DOS FALSOS MAÇONS

24/12/2007 - REGALADAS DE NATAL: DÓLARES

24/12/2007 - O PRINCÍPIO DO ESQUILÍBRIO

08/11/2007 - JUIZADOS ESPECIAIS NOS AEROPORTOS

15/10/2007 - É GOLPE PREOCUPANTE PROPOSTA DA NOVA CLT EM...

11/09/2007 - UNIR E MOBILIZAR

08/09/2007 - CAIXA: PRESIDENTE AMEAÇADA

08/09/2007 - TAM CRIA ARTIFÍCIO PARA ESCONDER OVERBOOKING

03/09/2007 - IVANISA, MULHER DE FRANKLIN MARTINS

03/09/2007 - AS NOVAS CAUSAS DA DIABETE

28/08/2007 - O CUSTO BESC

27/08/2007 - FATOR IDADE E SUPOSTA GENEROSIDADE...

18/08/2007 - A CPMF É IGUAL AO CONFISCO DO COLLOR, SÓ QUE...

14/08/2007 - DIREITO DO TRABALHO: UMA QUESTÃO DE CIDADANIA

12/08/2007 - LEI TENTA SALVAR CARTÓRIOS

11/08/2007 - CONTRA COLLOR, OS CARAS-PINTADAS:...

07/08/2007 - A PRORROGAÇÃO DA CPMF...

01/08/2007 - MEDITAR FAZ BEM AO CORAÇÃO...

25/07/2007 - A MICROMEGALOMANIA DE LULA É CONTAGIOSA

23/07/2007 - CRISE SEM FIM...

08/07/2007 - O ALOPRADO JORGE LORENZETTI E OS...

07/07/2007 - O "APAGÃO" DO ENSINO

23/06/2007 - AS FALCATRUAS DOS PETISTAS...

20/06/2007 - A CRISE NO SENADO...

06/06/2007 - LULA É IGUAL A RENAN, É IGUAL A SARNEY...

30/05/2007 - ALCOOLISMO - DOENÇA QUE NÃO TEM CURA, MAS...

29/05/2007 - DE OLHO NA LÍNGUA

28/05/2007 - QUESTÃO DE DIREITO...

28/05/2007 - O EXEMPLO DA USP

13/05/2007 - O NOVO DOPS...

07/05/2007 - SOBRE A SEÇÃO SUAS CAPACIDADES...

03/05/2007 - REUNIÃO SOBRE INCORPORAÇÃO É ADIADA

03/05/2007 - REUNIÃO SOBRE INCORPORAÇÃO É ADIADA

01/05/2007 - AS VENDAS DA JUSTIÇA

28/04/2007 - CONGRATULAÇÕES A LULA, COM RESERVAS...

21/04/2007 - CORRUPÇÃO NÃO TEM CURA...

19/04/2007 - ELEIÇÃO SINDICAL – SUPLEMENTAR (RESULTADO)

18/04/2007 - O MÍNIMO NECESSÁRIO

17/04/2007 - ATENDIMENTO BANCÁRIO – TEMPO DE ESPERA...

16/04/2007 - ENTIDADES LIGADAS AO MST RECEBERAM...

16/04/2007 - PETISTA QUE ROMPEU É POUCO "FRATERNO"

15/04/2007 - O PRIMEIRO COMPADRE DE (LULA)...

13/04/2007 - BESC, REMUNERAÇÃO DE GASTOS...

13/04/2007 - DEFERIDA LIMINAR EM RECLAMAÇÃO...

13/04/2007 - GOVERNO E LÍDERES ACERTAM PROPOSTA PARA...

12/04/2007 - UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA

12/04/2007 - CRISE DOS AEROPORTOS...

11/04/2007 - ASSALTO A BANCO

10/04/2007 - SOBRE BUROCRACIA E ARTES DO DESGOVERNO

10/04/2007 - MAIORIA DOS BRASILEIROS APÓIA...

09/04/2007 - O MASSACRE DA MINORIA

08/04/2007 - POSTO BANCÁRIO DO DETRAN NO PARANÁ É...

08/04/2007 - EmPACou?

08/04/2007 - MODUS OPERANDI

06/04/2007 - CAIXA FEDERAL DESTINOU R$ 10 MILHÕES A...

04/04/2007 - A DITADURA SÓ MUDOU DE NOME

03/04/2007 - EMENDA 3: O QUE É ISSO AFINAL?

03/04/2007 - NORMAS INTERNACIONAIS DO TRABALHO

03/04/2007 - ERRADICAÇÃO DO TRABALHO FORÇADO NO BRASIL

03/04/2007 - LIBERDADE SINDICAL E NEGOCIAÇÃO COLETIVA

02/04/2007 - O BRASIL DAS 181 MIL LEIS

01/04/2007 - A PREVIDÊNCIA DO FUTURO

01/04/2007 - CRÔNICA

01/04/2007 - PT RECONHECE QUE PERDEU FORÇA...

28/03/2007 - AFETO E LIMITES

27/03/2007 - A REALIDADE QUE ASSUSTA

27/03/2007 - A BURLA À CLT NA EMENDA 3

25/03/2007 - BANCOS - CONTRAPARTIDA PELOS SERVIÇOS

23/03/2007 - PATRÃO PAGA DANO MORAL POR JOGAR CARIMBO EM...

22/03/2007 - DIREITOS TRABALHISTAS

22/03/2007 - O BRASIL DO TRABALHO ESCRAVO

01/02/2007 - O RIO E O MAR DE CADA UM

00/00/0000 - BANCO DO BRASIL CONDENADO A INDDENIZAR EX ...

00/00/0000 - ATENDIMENTO A CLIENTES - TEMPO DE ESPERA...

  Sindicalize-se
+ Detalhes  
  Eventos
FESTA DOS BANCÁRIOS...
+ Detalhes
Itajaí - SC | Rua José Ferreira da Silva, 48 - Cx. Postal 118 - Centro | Telefone: (47) 3348-6374 |||  By Vale da Web
Copyright © 2017 SEEBI. Todos os Direitos Reservados.