BRASIL: "ÚNICO PA͍S NO MUNDO ONDE O POVO QUE É ROUBADO
É O MESMO QUE DÁ PODER AO LADRÃO"
Ações Jurídicas
Artigos
Base Territorial
Convenções e Acordos Coletivos
Convênios
Denúncia contra Bancos
Diretoria
Esportes
Eventos
Fale conosco
Índices de Reajustes Salariais
Links
Localização / sede
Matérias
Notícias
Noticias jurídicas
Notícias RSS
Saúde
Segurança Bancária
Sindicalize-se
Untitled Document
NOTÍCIAS
Gerais
Jurídicas
RSS
Saúde
Segurança Bancária
 Matérias

Confira a última matéria cadastrada:


14/01/2008 - "LULA ESGOTOU-SE"

Ex-aliado do PT, bispo diz que governo e movimentos sociais se opõem em temas como biocombustíveis e reforma agrária.

O bispo emérito de Goiás, dom Tomás Balduíno, se mantém, aos 85 anos, como uma das vozes mais contundentes da esquerda da Igreja Católica.

Fundador do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), cofundador e ex-presidente da Comissão Pastoral da Terra (CPT), o antigo "companheiro de viagem" do PT critica a moderação de Lula no poder, defende com unhas e dentes a reforma agrária e justifica as ações violentas do Movimento dos Sem-Terra com um ditado popular que pode soar polêmico: "A violência é legítima quando a mansidão é vã." Em entrevista à ISTOÉ, dom Tomás alerta para a tensão no Pará, elogia Hugo Chávez e diz que o presidente Lula não gera mais nenhuma expectativa de mudança no País. "Lula esgotou-se", diz.

O religioso usa a bússola ideológica ao analisar a sucessão de 2010, e cita nomes que gostaria de ver no Planalto. Pelo PT, o senador Eduardo Suplicy. Pelo PMDB, o senador Pedro Simon. Pelo PSDB, torce para que José Serra, por suas "tendências esquerdistas", vença a disputa com Aécio Neves.

ISTOÉ - O fim da CPMF foi bom para o Brasil?
Dom Tomás Balduíno - Foi uma perda lamentável porque o País perdeu seu melhor instrumento para arrecadar o dinheiro dos ricos. Essa derrota aconteceu porque o governo não abriu os olhos da sociedade para este fato. Até porque estava tirando dinheiro dos ricos para dar para outros ricos, tirava dos bancos para dar aos bancos, pagando a dívida. Por isso, ficou sem força moral para mostrar ao povo como essa arrecadação era eficaz.

ISTOÉ - Taxar operações financeiras é uma boa saída?
Dom Tomás - É uma medida positiva, mas continua faltando ao governo um diálogo com a base do povo. O governo perdeu essa prática. Todo governo com base popular tem condições de conscientizar a população quando entra em confronto com a classe exploradora. Lula manifestou que não tem mais essa condição. Ele se beneficia de uma forte aceitação popular, mas não dialoga com o povo.

ISTOÉ - O governo Lula combateu mais o latifúndio do que os antecessores?
Dom Tomás - Na luta contra o latifúndio, Lula não fez diferença nenhuma. É verdade que ele não reprimiu os movimentos sociais, como o Fernando Henrique, e dialogou, não fechou as portas. Mas o que realmente avança no País não é o social. É o mercado, o capital. Lula não está avançando nas desapropriações. Pelo contrário. O curso dado ao agronegócio está reduzindo o espaço da reforma agrária. As desapropriações estão muito aquém das metas que ele mesmo traçou. Hoje, reforma agrária é um assunto que saiu de pauta, de cogitação.

ISTOÉ - Não seria pelo fato de a mecanização rural ser obrigatória para a inserção do País no comércio mundial?
Dom Tomás - Se pautarmos nosso desenvolvimento pelos olhos europeus, pode ser, mas é preciso ver nossa realidade, conseguir respostas a partir dos anseios das massas brasileiras. O neoliberalismo é predador, devastador. Pode ser que favoreça as minorias ricas e o mundo europeu, mas aqui tem aumentado a disparidade, a desigualdade. O governo Lula, que é de aliança com o capital, se sente estimulado pelas forças que têm poder de comando na sociedade. Vai em outra linha que não é a de atender aos apelos das massas populares. Nosso universo é outro, é o do camponês, do indígena, do latino-americano, que conserva sua mística, sua grandeza.


"Chávez tem seus defeitos, mas responde a demandas populares, contrariando os interesses das elites"
ISTOÉ - As invasões da Vale do Rio Doce e de hidrelétricas não põem a opinião pública contra o movimento camponês?
Dom Tomás - Não condeno essas ações. São violentas, sim, mas o objetivo é criar impacto, como no caso das sementes de eucalipto da Aracruz Celulose. Eles reclamam, mandam correspondência, reivindicam, fazem requerimentos, e não são vistos, nada acontece. Quando quebram uma vidraça, aí aparecem. Tenho o máximo de respeito e admiração pelos que arriscam a pele em ações desse tipo.

ISTOÉ - Mas não é um caminho semelhante ao do terrorismo? Atos violentos para chamar a atenção?
Dom Tomás - Não. É outra coisa. "A violência é legítima quando a mansidão é vã", diz um ditado, uma dessas grandes obras da humanidade sem autoria conhecida. Diante de governantes surdos, só mesmo uma sacudidela violenta.

ISTOÉ - Quem seriam os candidatos em quem o sr. votaria em 2010?
Dom Tomás - Quero votar em um candidato que reúna condições. Muita gente olha para a figura do Eduardo Suplicy, não por ser do PT, mas por ser ele, até por ter divergido da cúpula do partido, por ser voto vencido. É difícil encontrar outro homem com essa estatura e projeção. Mas para ser candidato é preciso ter outras qualidades além da moral e do amor à pátria, precisa ter possibilidade de comunicação, diálogo. Dificilmente Suplicy seria o candidato do PT, mas ele reuniria muita gente, até de outras agremiações.

ISTOÉ - O sr. pode votar no PSDB?
Dom Tomás - Não vejo essa possibilidade por uma questão ideológica. É um partido elitista, de direita. Se o José Serra conseguisse se libertar das amarras da estrutura, poderia responder melhor às exigências de libertação, um ideal da esquerda. Já o Aécio Neves, eu não acredito que se liberte da direita, por uma opção pessoal e partidária.

ISTOÉ - Caso a idéia de um terceiro mandato para Lula volte à agenda política, o sr. poderia apoiá-la?
Dom Tomás - Lula esgotou-se. Não falo por mim, mas pelas organizações populares que conheço. Não se pensa em manter Lula para mudar, melhorar o País. Vamos viver o pós-Lula brevemente. Como vai ser, eu não sei, mas não há expectativa de nova eleição de Lula. Talvez isso possa ser negociado pelas cúpulas, mas não como força popular. O movimento popular não vê Lula continuando, não quer um terceiro mandato. Isso não quer dizer que queiramos esses outros candidatos que estão aparecendo por aí. Há uma perplexidade geral com relação ao futuro. Ainda não surgiu o estalo.

ISTOÉ - Por que o sr. está tão decepcionado com o governo?
Dom Tomás - Havia a expectativa daqueles anos de caminhadas das organizações populares, que se aglutinaram, criaram um partido, sonharam com a chefia do governo. Hoje o clima é de decepção, desalento, até de paralisia. Eu esperava muito mais de Lula e não sou só eu. Todas as organizações do campo esperavam mais da recuperação do instrumental que é o Incra, na atualização dos critérios e índices de produtividade e do limite da propriedade para fins de desapropriação. Tudo isso favoreceria uma reforma agrária, que tem sido tocada como uma medida compensatória, ou seja, onde há um conflito, o governo vai e desapropria. Isso não é reforma agrária.

ISTOÉ - O sr. tem esperança de que o País mude de rumo?
Dom Tomás - A esperança não morre nunca. Olhando pelas bases do povo, da sociedade, que conserva o vigor do povo latino-americano, vejo que há um potencial, um cabedal de vida, de transformação, que aponta para um futuro diferente. Isso já está presente nos diversos fóruns sociais e nos encontros e assembléias das organizações camponesas. Temos os levantamentos no Equador, na Bolívia, na Venezuela. O povo está muito vivo, apesar de séculos e séculos de dominação da elite, de formação do Estado a serviço da elite, que é o que temos.

ISTOÉ - A única alternativa da América Latina ao capitalismo seria o populismo ou personalismo, como o de Hugo Chávez na Venezuela?
Dom Tomás - Não chamo de populismo, mas de liderança carismática, que Lula também é. Em termos de organização popular, temos mais cabedal do que qualquer país latino-americano. Acho essa mobilização boa, válida, necessária, mas chega um momento em que é preciso haver uma liderança de consenso da maioria. Podem chamar de populismo ou sei lá o quê, mas tem de ser assim. No caso da Venezuela, é o Chávez. Ele tem seus defeitos, mas responde em grande parte a demandas dessas bases populares, contrariando os interesses das elites, que gostariam de vê-lo morto, e do próprio império americano. No caso da Bolívia, essa liderança é o Evo Morales.


"No Pará, o Projeto Paz no Campo, da governadora Ana Júlia Carepa (PT), levou à prisão de 200 lavradores"
ISTOÉ - Por que o sr. é contra a transposição do São Francisco?
Dom Tomás - Pelas mesmas razões de dom Luiz Flávio Cappio (bispo de Barra, na Bahia) e de uma centena de bispos. A transposição é para a elite rica e não vai matar a sede da difusa população nordestina do semi-árido. Vão fazêla para os projetos de exportação de frutas para a Europa, de caranguejos em cativeiro e para a irrigação da cana, além dos grandes centros urbanos. Existe uma alternativa elaborada pela Agência Nacional de Águas, muito mais barata, com recursos locais. É basicamente água de chuva, com o aproveitamento do subsolo e, sobretudo, agenciamento das águas. As águas acumuladas em açudes evaporam sem um serviço de distribuição para quem precisa delas. É três vezes mais barato do que este projeto faraônico que não beneficia a população. Esse negócio de dizer que vai para 12 milhões não é verdade. Vai é para a elite. O outro, mais simples, poderia beneficiar 44 milhões.

ISTOÉ - E por que o governo não optaria por este projeto alternativo?
Dom Tomás - Ele foi abafado pelo próprio governo. No semi-árido brasileiro chove muito mais do que em outros semiáridos. Na Espanha, há uma área semelhante em que o pessoal vive bem porque a água foi racionalizada, com um sistema de atendimento adequado à população. Aqui a cultura é do desperdício de água, mesmo no Nordeste. Quando se fala em retomada do serviço da água, é na mesma linha da indústria da seca, que canaliza o dinheiro para a elite.

ISTOÉ - Exportação e agronegócio não geram empregos para os nordestinos?
Dom Tomás - Todo projeto gera emprego, mas estamos falando de água. Uma coisa é aumentar um bolo para depois, quem sabe, dividi-lo. Outra é levar a água diretamente à população que dela precisa. A água da transposição seria excessivamente cara, bombeada a 300 metros de altura para alimentar três Estados. Seria a água mais cara do mundo.

ISTOÉ - O governo Lula reduziu o conflito no campo?
Dom Tomás - O conflito continua intenso, sobretudo no Norte. No Pará, o resultado do projeto Paz no Campo, da governadora Ana Júlia Carepa (PT), foi a prisão de 200 lavradores em 2007, com violência policial muito forte. Foi um desarmamento dos lavradores pedido pelos fazendeiros, que queriam vacinar seu gado e eram atrapalhados pelas ocupações. O governo pôs a polícia para apoiar os fazendeiros. O lavrador é visto como bandido. Coincidentemente, em uma dessas batidas a polícia encontrou um arsenal de guerra de um fazendeiro. Isso acaba dando em guerra.

ISTOÉ - O governo não diminuiu o índice de mortes nos conflitos?
Dom Tomás - Diminuiu um pouco, mas há uma tensão crescente, sobretudo no Pará, pelo fato de o Incra estar criando assentamentos em terras públicas distantes, insalubres, com malária, em florestas primárias. Isso não é futuro para a reforma agrária, pois acaba beneficiando as madeireiras e contrariando a vida dos ribeirinhos. Interessante é que, em vez de desapropriar áreas próximas aos centros de consumo e escolas, hospitais, o governo faz a reforma agrária no sentido da deportação para longe. É a reforma agrária como deportação. Isso gera tensão e perpetua o trabalho escravo.

ISTOÉ - O agronegócio mecanizado, no mundo todo, é um importante gerador de divisas. No Brasil é diferente?
Dom Tomás - Ele toma a terra que poderia ser da reforma agrária para produzir etanol, para exportar. É um retrocesso, uma volta ao sistema colonial de exportação.

ISTOÉ - Mesmo que o etanol reduza a poluição, o saldo da cultura da cana é negativo?
Dom Tomás - No sentido da terra, é negativa a chamada "energia limpa". A Via Campesina diz que ela é limpa do cano de descarga do carro para fora. Até chegar lá, é tão suja que inclui até trabalho escravo. Retira a terra de quem precisa dela para viver. E agride o meio ambiente transformando a mata em monocultura. O cerrado, que equilibra o planeta e é a caixa-d'água das nossas bacias hidrográficas, está sendo transformado na monocultura de eucalipto, cana, soja ou algodão. O etnol compensa para o mercado do Primeiro Mundo, que está precisando de energia para seus motores, mas de nós ele tira a chance de solucionar nossos problemas. O agronegócio tem um valor importante, mas não pode ser prioridade da política pública para o campo.

Fonte: ISTO É
 Outras Matérias

20/04/2015 - CONVENIO

20/04/2015 - NOVO CONVÊNIO

17/04/2014 - PSICÓLOGAS

04/04/2014 - SANTE'S ESTÉTICA E ACADEMIA

12/09/2013 - PSICÓLOGA - BETSATBÁ SALEM BECK

11/03/2013 - PSICÓLOGO-MADSON

18/04/2012 - Informativo Angulo Cursos.

18/04/2012 - Informativo Angulo Cursos.

19/03/2012 - NOVO CONVENIO

27/04/2011 - Convênio

12/10/2010 - UM HOMEM FICHA LIMPA

19/01/2010 - A NECESSÁRIA DIFERENCIAÇÃO ENTRE A LESÃO CORPORAL E A PRÁTICA DE TORTURA

11/12/2008 - HOMEM É PRESO POR MOLESTAR MULHERES

18/10/2008 - UNIDOS CONTRA A CORRUPÇÃO

30/09/2008 - ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DIA 01/10/2008

30/09/2008 - ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA 01/10/2008

30/09/2008 - ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA 01/10/2008

30/09/2008 - ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA 01/10/2008

28/08/2008 - GENOINO QUER VOLTAR A SER GENOINO

28/06/2008 - 7 MITOS QUE PODEM MATAR

19/05/2008 - SINDICALISMO

21/04/2008 - UMA GRANDE FARRA

20/04/2008 - A ELEIÇÃO DE BERLUSCONI E O FIM DA ESQUERDA

19/04/2008 - REI LULA 1º

02/02/2008 - BRIZOLA: UM EXEMPLO IMORTAL

14/01/2008 - OS CREIMES VERDADEIROS DOS FALSOS MAÇONS

24/12/2007 - REGALADAS DE NATAL: DÓLARES

24/12/2007 - O PRINCÍPIO DO ESQUILÍBRIO

08/11/2007 - JUIZADOS ESPECIAIS NOS AEROPORTOS

15/10/2007 - É GOLPE PREOCUPANTE PROPOSTA DA NOVA CLT EM...

11/09/2007 - UNIR E MOBILIZAR

08/09/2007 - CAIXA: PRESIDENTE AMEAÇADA

08/09/2007 - TAM CRIA ARTIFÍCIO PARA ESCONDER OVERBOOKING

03/09/2007 - IVANISA, MULHER DE FRANKLIN MARTINS

03/09/2007 - AS NOVAS CAUSAS DA DIABETE

28/08/2007 - O CUSTO BESC

27/08/2007 - FATOR IDADE E SUPOSTA GENEROSIDADE...

18/08/2007 - A CPMF É IGUAL AO CONFISCO DO COLLOR, SÓ QUE...

14/08/2007 - DIREITO DO TRABALHO: UMA QUESTÃO DE CIDADANIA

12/08/2007 - LEI TENTA SALVAR CARTÓRIOS

11/08/2007 - CONTRA COLLOR, OS CARAS-PINTADAS:...

07/08/2007 - A PRORROGAÇÃO DA CPMF...

06/08/2007 - INSTINTOS PERVERSOS...

01/08/2007 - MEDITAR FAZ BEM AO CORAÇÃO...

25/07/2007 - A MICROMEGALOMANIA DE LULA É CONTAGIOSA

23/07/2007 - CRISE SEM FIM...

08/07/2007 - O ALOPRADO JORGE LORENZETTI E OS...

07/07/2007 - O "APAGÃO" DO ENSINO

23/06/2007 - AS FALCATRUAS DOS PETISTAS...

20/06/2007 - A CRISE NO SENADO...

06/06/2007 - LULA É IGUAL A RENAN, É IGUAL A SARNEY...

30/05/2007 - ALCOOLISMO - DOENÇA QUE NÃO TEM CURA, MAS...

29/05/2007 - DE OLHO NA LÍNGUA

28/05/2007 - QUESTÃO DE DIREITO...

28/05/2007 - O EXEMPLO DA USP

13/05/2007 - O NOVO DOPS...

07/05/2007 - SOBRE A SEÇÃO SUAS CAPACIDADES...

03/05/2007 - REUNIÃO SOBRE INCORPORAÇÃO É ADIADA

03/05/2007 - REUNIÃO SOBRE INCORPORAÇÃO É ADIADA

01/05/2007 - AS VENDAS DA JUSTIÇA

28/04/2007 - CONGRATULAÇÕES A LULA, COM RESERVAS...

21/04/2007 - CORRUPÇÃO NÃO TEM CURA...

19/04/2007 - ELEIÇÃO SINDICAL – SUPLEMENTAR (RESULTADO)

18/04/2007 - O MÍNIMO NECESSÁRIO

17/04/2007 - ATENDIMENTO BANCÁRIO – TEMPO DE ESPERA...

16/04/2007 - ENTIDADES LIGADAS AO MST RECEBERAM...

16/04/2007 - PETISTA QUE ROMPEU É POUCO "FRATERNO"

15/04/2007 - O PRIMEIRO COMPADRE DE (LULA)...

13/04/2007 - BESC, REMUNERAÇÃO DE GASTOS...

13/04/2007 - DEFERIDA LIMINAR EM RECLAMAÇÃO...

13/04/2007 - GOVERNO E LÍDERES ACERTAM PROPOSTA PARA...

12/04/2007 - UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA

12/04/2007 - CRISE DOS AEROPORTOS...

11/04/2007 - ASSALTO A BANCO

10/04/2007 - SOBRE BUROCRACIA E ARTES DO DESGOVERNO

10/04/2007 - MAIORIA DOS BRASILEIROS APÓIA...

09/04/2007 - O MASSACRE DA MINORIA

08/04/2007 - POSTO BANCÁRIO DO DETRAN NO PARANÁ É...

08/04/2007 - EmPACou?

08/04/2007 - MODUS OPERANDI

06/04/2007 - CAIXA FEDERAL DESTINOU R$ 10 MILHÕES A...

04/04/2007 - A DITADURA SÓ MUDOU DE NOME

03/04/2007 - EMENDA 3: O QUE É ISSO AFINAL?

03/04/2007 - NORMAS INTERNACIONAIS DO TRABALHO

03/04/2007 - ERRADICAÇÃO DO TRABALHO FORÇADO NO BRASIL

03/04/2007 - LIBERDADE SINDICAL E NEGOCIAÇÃO COLETIVA

02/04/2007 - O BRASIL DAS 181 MIL LEIS

01/04/2007 - A PREVIDÊNCIA DO FUTURO

01/04/2007 - CRÔNICA

01/04/2007 - PT RECONHECE QUE PERDEU FORÇA...

28/03/2007 - AFETO E LIMITES

27/03/2007 - A REALIDADE QUE ASSUSTA

27/03/2007 - A BURLA À CLT NA EMENDA 3

25/03/2007 - BANCOS - CONTRAPARTIDA PELOS SERVIÇOS

23/03/2007 - PATRÃO PAGA DANO MORAL POR JOGAR CARIMBO EM...

22/03/2007 - DIREITOS TRABALHISTAS

22/03/2007 - O BRASIL DO TRABALHO ESCRAVO

01/02/2007 - O RIO E O MAR DE CADA UM

00/00/0000 - BANCO DO BRASIL CONDENADO A INDDENIZAR EX ...

00/00/0000 - ATENDIMENTO A CLIENTES - TEMPO DE ESPERA...

  Sindicalize-se
+ Detalhes  
  Eventos
FESTA DOS BANCÁRIOS...
+ Detalhes
Itajaí - SC | Rua José Ferreira da Silva, 48 - Cx. Postal 118 - Centro | Telefone: (47) 3348-6374 |||  By Vale da Web
Copyright © 2017 SEEBI. Todos os Direitos Reservados.