BRASIL: "ÚNICO PA͍S NO MUNDO ONDE O POVO QUE É ROUBADO
É O MESMO QUE DÁ PODER AO LADRÃO"
Ações Jurídicas
Artigos
Base Territorial
Convenções e Acordos Coletivos
Convênios
Denúncia contra Bancos
Diretoria
Esportes
Eventos
Fale conosco
Índices de Reajustes Salariais
Links
Localização / sede
Matérias
Notícias
Noticias jurídicas
Notícias RSS
Saúde
Segurança Bancária
Sindicalize-se
Untitled Document
NOTÍCIAS
Gerais
Jurídicas
RSS
Saúde
Segurança Bancária
 Notícias Gerais

Confira as últimas notícias Gerais :

01/04/2007 - BANCOS GANHAM BEM MAIS QUE EMPRESAS

Apesar da tendência de crescimento no faturamento apontada no balanço das 43,3 mil empresas analisadas pela Serasa, são os bancos quem têm registrado aumentos bem maiores nos ganhos com a intermediação financeira (o "faturamento" do setor financeiro).

Segundo os dados da Serasa, entre 2004 e 2006, as 43,3 mil empresas aumentaram o faturamento em 6,4%. Já a receita bruta (o faturamento com intermediações) dos 50 maiores bancos do país subiu 41% no mesmo período, segundo cálculos do Inepad.

O resultado dos bancos é muito melhor por conta dos "spreads" altos. O "spread" é a diferença entre o que o banco paga para captar dinheiro e a quanto ele empresta esse mesmo recurso a terceiros.

Hoje, o total de crédito concedido pelos bancos em toda a economia é muito baixo na comparação com outros países. Equivale a aproximadamente 32% do PIB.

Se os "spreads" fossem bem menores, certamente o "custo" do dinheiro seria mais baixo e haveria mais crédito impulsionando as vendas de geladeiras, automóveis e imóveis.

Expansão lenta

"A expansão do crédito vem ganhando força nos últimos anos, mas continua muito lenta na comparação com outros países", afirma Amador Rodriguez, da Serasa.

Marcel de Marco, do Inepad, acredita que apenas no longo prazo os bancos vão acabar "entrando na mesma curva do resto da economia", baixando os "spreads" e permitindo a ampliação do crédito.

Na semana passada, pesquisa do Banco Central revelou que os bancos continuam mantendo os "spreads" elevados apesar da contínua queda do custo de captação de dinheiro.

Ou seja, a queda no custo dos empréstimos nos últimos meses teria sido maior se os bancos tivessem repassado totalmente aos tomadores e devedores o alívio proporcionado pela queda da Selic (a taxa básica de juros do país).

Entre setembro de 2005 e fevereiro passado, a Selic caiu de 19,75% ao ano para 13% (-6,75 pontos percentuais). No mesmo período, o "spread" passou de 29,4% para 27,6% (-1,8 p.p.).

Os bancos afirmam que a Selic não guarda relação com os "spreads", que seriam determinados por outros custos de captação de dinheiro e pelos riscos de inadimplência nas operações de crédito.

Representantes da indústria afirmam que a redução dos juros ainda não chegou ao setor exatamente por conta da manutenção de "spreads" elevados. "A carga tributária alta, o "spread" bancário e, principalmente, o câmbio desfavorável continuam dificultando a vida da indústria", afirma José Ricardo Roriz Coelho, diretor titular do Departamento de Competitividade da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

Ao avaliar o levantamento feito pela Serasa, ele afirma que, apesar do maior vigor das empresas, o Brasil poderia aproveitar melhor o crescimento da economia mundial.

"O problema não é que não estamos crescendo. É que estamos crescendo muito menos do que os concorrentes, como China, Índia e Rússia."
MAELI PRADO
FERNANDO CANZIAN
da Folha de S. Paulo


Fonte: FOLHA DE SÃO PAULO

 Outras Notícias

14/11/2018 - LUCRO LÍQUIDO DO BANRISUL SOBE 31,6% NO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2018

14/11/2018 - GILMAR MENDES TRAVA PAGAMENTO DE AÇÕES NA JUSTIÇA DE PLANOS ECONÔMICOS

14/11/2018 - COMO O PT ‘APARELHOU’ O BANCO DO BRASIL

13/11/2018 - CENTRAIS SINDICAIS DEBATEM REFORMA DA PREVIDÊNCIA

13/11/2018 - BOLSONARO E O DESEMPREGO

13/11/2018 - CAIXA ECONÔMICA CONFIRMA QUE DECISÃO DO STF SOBRE FGTS NÃO GERA DIREITOS EM 2018

13/11/2018 - AUTÔNOMO TEM DE GANHAR O DOBRO DE TRABALHADOR CLT PARA MANTER PADRÃO

13/11/2018 - GOVERNO DE BOLSONARO VAI PROMOVER CORTE DE CARGOS EM BANCOS ESTATAIS

13/11/2018 - BANCO HSBC PLANEJA RETORNAR PARA O BRASIL

12/11/2018 - GRANDES BANCOS LUCRAM 12,7% MAIS NO 3º TRI E SINALIZAM MAIOR APETITE POR CRÉDITO

  Sindicalize-se
+ Detalhes  
  Eventos
FESTA DOS BANCÁRIOS...
+ Detalhes
Itajaí - SC | Rua José Ferreira da Silva, 48 - Cx. Postal 118 - Centro | Telefone: (47) 3348-6374 |||  By Vale da Web
Copyright © 2018 SEEBI. Todos os Direitos Reservados.