BRASIL: "ÚNICO PA͍S NO MUNDO ONDE O POVO QUE É ROUBADO
É O MESMO QUE DÁ PODER AO LADRÃO"
Ações Jurídicas
Artigos
Base Territorial
Convenções e Acordos Coletivos
Convênios
Denúncia contra Bancos
Diretoria
Esportes
Eventos
Fale conosco
Índices de Reajustes Salariais
Links
Localização / sede
Matérias
Notícias
Noticias jurídicas
Notícias RSS
Saúde
Segurança Bancária
Sindicalize-se
Untitled Document
NOTÍCIAS
Gerais
Jurídicas
RSS
Saúde
Segurança Bancária
 Notícias Gerais

Confira as últimas notícias Gerais :

07/12/2017 - JUÍZA DECIDE QUE FIM DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É INCOSTITUCIONAL

A Reforma Trabalhista foi feita por meio de lei ordinária, que, segundo a Constituição, não tem poder para alterar regras tributárias. E a contribuição sindical, extinta compulsoriamente com a mudança, tem natureza de imposto.


Por isso, só poderia ser mexida por lei complementar. Com esse entendimento, a juíza Patrícia Pereira de Santanna, da 1ª Vara do Trabalho de Lages (SC), acolheu pedido de um sindicato e anulou o fim da contribuição sindical obrigatória que é destinada à entidade.


Segundo a juíza, a natureza de tributo da     contribuição sindical vem do fato de que 10% dela vai para os cofres da União, para a Conta Especial Emprego e Salário. Assim, para ela, qualquer alteração que fosse feita na contribuição sindical deveria ter sido por meio de lei complementar, e não pela Lei 13.467/17, que é ordinária.


Além disso, a julgadora ressalta que a Reforma Trabalhista não poderia ter tornado o instituto da contribuição sindical facultativo, porque infringe o disposto no artigo 3º do Código Tributário Nacional, que estabelece que o tributo “é toda prestação pecuniária compulsória”.


O Código Tributário Nacional é lei complementar, que não pode ser alterada por lei ordinária, o que infringiria o sistema de hierarquia das normas do Estado Democrático de Direito.


“É importante registrar o Juízo que não se trata de ser a favor ou contra a contribuição sindical ou à representação sindical dos empregados, ou, ainda, de estar de acordo ou não com o sistema sindical brasileiro tal como existe atualmente. Trata-se, sim, de questão de inconstitucionalidade, de ilegalidade da lei e de segurança jurídica”, disse Patrícia para finalizar sua decisão.


O fim da contribuição sindical obrigatória é questionado em 5 das 8 ações no Supremo Tribunal Federal contra a Reforma Trabalhista.




Fonte: DIAP / FEEB PR

 Outras Notícias

08/12/2017 - GÁS ABALA ORÇAMENTO DE 67% DOS BRASILEIROS, MOSTRA DATAFOLHA

08/12/2017 - OPERAÇÃO LAVA JATO DEVOLVE MAIS R$ 653 MILHÕES PARA A PETROBRAS

08/12/2017 - CÂMARA VAI VOTAR REFORMA DA PREVIDÊNCIA NO DIA 18 DE DEZEMBRO, DIZ LÍDER DO GOVERNO

07/12/2017 - ITAÚ SELECIONA GERENTES COM SALÁRIO DE QUASE R$ 6 MIL; QUALQUER CURSO SUPERIOR É ACEITO

07/12/2017 - SEM VOTOS, TEMER ADIA DEFINIÇÃO DE DATA PARA VOTAÇÃO DE REFORMA

07/12/2017 - SEM NEGOCIAÇÃO, DIREÇÃO DO SANTANDER IMPÕE BANCO DE HORAS

30/11/2017 - JUIZ REVERTE DEMISSÃO EM MASSA E DIZ QUE REFORMA É INCOSTITUCIONAL

30/11/2017 - CENTRAIS CONVOCAM GREVE NACIONAL EM DEFESA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

30/11/2017 - CENTRAIS SE REÚNEM COM MAIA EM OPOSIÇÃO À REFORMA DA PREVIDÊNCIA

30/11/2017 - LEI TRABALHISTA É 'RETROCESSO JURÍDICO SOCIAL" , DIZ MINISTRA DO TST

  Sindicalize-se
+ Detalhes  
  Eventos
FESTA DOS BANCÁRIOS...
+ Detalhes
Itajaí - SC | Rua José Ferreira da Silva, 48 - Cx. Postal 118 - Centro | Telefone: (47) 3348-6374 |||  By Vale da Web
Copyright © 2017 SEEBI. Todos os Direitos Reservados.