BRASIL: "ÚNICO PA͍S NO MUNDO ONDE O POVO QUE É ROUBADO
É O MESMO QUE DÁ PODER AO LADRÃO"
Ações Jurídicas
Artigos
Base Territorial
Convenções e Acordos Coletivos
Convênios
Denúncia contra Bancos
Diretoria
Esportes
Eventos
Fale conosco
Índices de Reajustes Salariais
Links
Localização / sede
Matérias
Notícias
Noticias jurídicas
Notícias RSS
Saúde
Segurança Bancária
Sindicalize-se
Untitled Document
NOTÍCIAS
Gerais
Jurídicas
RSS
Saúde
Segurança Bancária
 Notícias Gerais

Confira as últimas notícias Gerais :

26/04/2007 - GOVERNO ESTUDA NOVA PROPOSTA PARA...

regulamentar emenda 3.

O governo federal irá apresentar uma proposta para substituir a polêmica chamada "emenda 3". Ela irá permitir a relação de subordinação e regularidade, como em uma relação trabalhista, das pessoas jurídicas que prestam serviços de natureza artística para outras empresas. No entanto, a PJ contratada terá que pagar uma contribuição extra.

"Será lícito uma pessoa jurídica com lucro presumido em relações personalíssimas de caráter artístico mesmo que de forma continuada", explicou o ministro Guido Mantega (Fazenda).

Nesses casos, o ministro sugere uma tributação extra de 10% a ser pago pela empresa contratada a título de contribuição previdenciária. Essa contribuição será ainda negociada com os líderes dos partidos.

O projeto de lei deverá ser encaminhado na próxima semana e irá regulamentar o artigo nº 116 do Código Tributário Nacional. Essa é a saída que o governo tenta dar para acabar com a polêmica da chamada "emenda 3".

O ministro acredita que isso evitará precarização das relações trabalhistas, mesmo sem a imposição de um piso para que esses contratos de caráter artístico sejam aceitos pela fiscalização. Segundo o ministro, a situação das empresas que atuam no sistema de lucro presumido não será alterada, assim como consultórios de advocacia e contabilidade e clínicas médicas e odontológicas.

A emenda 3 foi incluída por parlamentares na lei que criou a Super-Receita e vetada pelo presidente Lula no mês passado. Ela proíbe que os auditores fiscais multem e tenham o poder para desfazer pessoas jurídicas quando for constatado que a relação de prestação de serviços com uma outra empresa é, na verdade, uma relação trabalhista. Pelo texto aprovado no Congresso Nacional, apenas a Justiça do Trabalho teria esse poder.

'A autuação dos fiscais será agora paramentada por uma legislação mais clara. O fiscal não vai poder descontinuar uma pessoa jurídica personalíssima se estiver dentro dessa nova lei.'

As centrais sindicais foram contra a emenda porque temiam a precarização das relações trabalhistas. Hoje, o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, disse que a proposta apresentada pelo ministro é satisfatória.

O secretário-executivo da Fazenda, Nelson Machado, afirmou que esse trabalho de natureza artística será voltado para atores e escritores, por exemplo. No caso de trabalhos intelectuais, como o de jornalistas, não será permitida essa exceção. 'Isso não pode e continuará não podendo.'


Fonte: FOLHA ONLINE

 Outras Notícias

20/09/2018 - PLR É CONQUISTA E SERÁ PAGA HOJE

20/09/2018 - ANS RENOVA ACORDO COM UNIMED-RIO PARA ASSEGURAR DIREITOS DOS BENEFICIÁRIOS

20/09/2018 - JUSTIÇA DO TRABALHO OBRIGA BRADESCO A EMITIR CAT

20/09/2018 - JUSTIÇA DO TRABALHO ANULA DESCOMISSIONAMENTO DE ADOECIDOS NO BANCO DO BRASIL

20/09/2018 - 5,7 MILHÕES COM MENOS DE 60 ANOS TÊM ATÉ DIA 28 PARA SACAR PIS-PASEP

20/09/2018 - CIELO, BB E BRADESCO ASSINAM ACORDO COM CADE E VÃO PAGAR MULTA DE R$ 33,8 MI

20/09/2018 - APOSENTADORIAS FICARÃO MENORES A PARTIR DE DEZEMBRO NO INSS

19/09/2018 - REFORMA TRABALHISTA: 78,4% DOS POSTOS CRIADOS SÃO INTERMITENTES OU PARCIAIS

19/09/2018 - CAIXA DEVE LANÇAR NOVO PDV EM NOVEMBRO

19/09/2018 - CADE INVESTIGA BANCOS POR SUPOSTAMENTE PREJUDICAREM CORRETORAS DE CRIPTOMOEDAS

  Sindicalize-se
+ Detalhes  
  Eventos
FESTA DOS BANCÁRIOS...
+ Detalhes
Itajaí - SC | Rua José Ferreira da Silva, 48 - Cx. Postal 118 - Centro | Telefone: (47) 3348-6374 |||  By Vale da Web
Copyright © 2018 SEEBI. Todos os Direitos Reservados.