BRASIL: "ÚNICO PA͍S NO MUNDO ONDE O POVO QUE É ROUBADO
É O MESMO QUE DÁ PODER AO LADRÃO"
Ações Jurídicas
Artigos
Base Territorial
Convenções e Acordos Coletivos
Convênios
Denúncia contra Bancos
Diretoria
Esportes
Eventos
Fale conosco
Índices de Reajustes Salariais
Links
Localização / sede
Matérias
Notícias
Noticias jurídicas
Notícias RSS
Saúde
Segurança Bancária
Sindicalize-se
Untitled Document
NOTÍCIAS
Gerais
Jurídicas
RSS
Saúde
Segurança Bancária
 Notícias Gerais

Confira as últimas notícias Gerais :

01/05/2007 - 1º DE MAIO. ADAPTAÇÃO AOS NOVOS TEMPOS

A chegada das centrais sindicais ao poder, com dois de seus representantes estrategicamente posicionados no comando dos Ministérios da Previdência e do Trabalho, acabou por esvaziar a agenda de reivindicações históricas do movimento sindical.

Conquistas como a política de valorização do salário mínimo atrelada à correção progressiva da tabela do Imposto de Renda, e a participação no governo ajudaram em uma espécie de cooptação oficializada das centrais, que neste 1 de Maio vão levantar bandeiras que, até pouco tempo atrás, eram preocupação quase exclusiva das entidades representativa do patronato.

“Nós tivemos que adaptar nossa pauta aos novos tempos, agora nossa luta tem foco no crescimento de 5% da economia e em uma reforma tributária mais ampla do que a que já passou pelo Congresso”, diz o ex-presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), João Felício. A central está representada no governo por um de seus ex-presidentes, Luiz Marinho, titular do Ministério da Previdência.

A mudança de discurso é também sintoma da maior proximidade entre centrais e o Palácio do Planalto. Ao chamar os sindicatos para o debate sobre a formulação das propostas de reforma trabalhista e da Previdência, o governo apaziguou os ânimos do movimento, que adotou postura conveniente a quem é parte da coligação que sustenta o governo Lula.

A aceleração da queda na taxa básica de juros, a redução do spread bancário e a reforma tributária - agenda do governo - ganharam eco entre os líderes sindicais. A reforma sindical perdeu prioridade. As centrais defendem que ela seja feita “aos poucos”, fora de um pacote com grandes mudanças.

“Tivemos que repensar nosso discurso”, admite o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna. A Força passou a fazer parte do governo com a nomeação de Carlos Lupi (PDT) para o Ministério do Trabalho. “A legalização das centrais ainda é uma das bandeiras levantadas no 1 de Maio, mas a maior das nossas causas hoje é de fato o crescimento econômico.

Discordâncias

Pequenas discordâncias na receita desse crescimento ainda marcam a relação entre centrais e governo.

A medida que limita em 1,5% ao ano o crescimento da folha de pagamento do governo, incluída no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), é vista com temor pelas centrais. Para João Felício, ela engessa a mobilização sindical ao reduzir o espaço para reivindicações no funcionalismo público. “Esse limitador, além de tirar qualquer possibilidade de luta por melhorias dos servidores, ainda abre a possibilidade de governadores e prefeitos simplesmente não reajustarem salários nos próximos anos”, critica João Felício.

O piso salarial de R$ 850 proposto para os professores também será alvo de protesto nas comemorações do 1º de Maio.


Fonte: GAZETA MERCANTIL

 Outras Notícias

18/01/2019 - BANCO PODERÁ ABATER DE CONDENAÇÃO VALOR PAGO POR VENDA DE 10 DIAS DE FÉRIAS

18/01/2019 - CAIXA DETERMINA QUE CLUBES DEIXEM DE ESTAMPAR SUA MARCA NOS UNIFORMES

18/01/2019 - GOVERNO BOLSONARO TEM ATÉ ABRIL PARA DEFINIR REGRA PARA REAJUSTAR SALÁRIO MÍNIMO; ENTENDA

18/01/2019 - SENADORES GASTARAM R$ 21 MILHÕES COM VIAGENS, RESTAURANTES E COMBUSTÍVEL

18/01/2019 - PAULO GUEDES DARÁ DETALHES SOBRE REFORMA DA PREVIDÊNCIA EM DAVOS

18/01/2019 - GOVERNO ESTUDA PAGAR ABONO DO PIS SÓ PARA QUEM GANHA ATÉ UM SALÁRIO MÍNIMO

17/01/2019 - EM MEIO À CRISE, VENDA DE ESTATAIS DEIXARÁ GOVERNO DE MÃO ATADAS, DIZ ECONOMISTA

17/01/2019 - REAJUSTE DAS APOSENTADORIAS DO INSS VARIA DE 0% A 3,43%

17/01/2019 - JUSTIÇA DERRUBA ACORDO ANTERIOR À REFORMA QUE PROIBIA TERCEIRIZAÇÃO EM USINAS DE CANA DE SP

17/01/2019 - MILITARES INTENSIFICAM LOBBY PARA FICAR FORA DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

  Sindicalize-se
+ Detalhes  
  Eventos
FESTA DOS BANCÁRIOS...
+ Detalhes
Itajaí - SC | Rua José Ferreira da Silva, 48 - Cx. Postal 118 - Centro | Telefone: (47) 3348-6374 |||  By Vale da Web
Copyright © 2019 SEEBI. Todos os Direitos Reservados.