BRASIL: "ÚNICO PA͍S NO MUNDO ONDE O POVO QUE É ROUBADO
É O MESMO QUE DÁ PODER AO LADRÃO"
Ações Jurídicas
Artigos
Base Territorial
Convenções e Acordos Coletivos
Convênios
Denúncia contra Bancos
Diretoria
Esportes
Eventos
Fale conosco
Índices de Reajustes Salariais
Links
Localização / sede
Matérias
Notícias
Noticias jurídicas
Notícias RSS
Saúde
Segurança Bancária
Sindicalize-se
Untitled Document
NOTÍCIAS
Gerais
Jurídicas
RSS
Saúde
Segurança Bancária
 Notícias Gerais

Confira as últimas notícias Gerais :

02/05/2007 - LUPI E ARLINDO CHINGLIA DEFENDEM CLT E...

criticam flexibilização trabalhista.

O ministro Carlos Lupi (Trabalho) e o presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), manifestaram nesta terça-feira contrariedade com o tema da flexibilização das leis trabalhistas durante a festa da Força Sindical, realizada desde as 10h na praça Campo de Bagatelle, zona norte de São Paulo.

"Todo dia eu leio editoriais me chamando de atrasado e de retrógrado porque defendo a CLT [Consolidação das Leis do Trabalho]. Agora é meu direito defendê-la. Que trabalhador vai abrir mão do seu 13º e das férias remuneradas. Que trabalhadora vai abrir mão da licença maternidade?", disse Lupi.

Arlindo Chinaglia, por sua vez, disse que o trabalhador, muitas vezes, tinha direito como cidadão fora da fábrica, mas que perdia parte desses direitos no ambiente de trabalho.

"Antes de se discutir questão de legislação trabalhista, nós temos é que discutir legislação sindical. O Brasil é uma país muito atrasado em termo de direito de organização sindical", disse. E acrescentou: "Para mim, não tem assunto proibido. Só que eu não compartilho da idéia de que o custo Brasil é dos trabalhadores."

Chinaglia disse que apreciou o fato de a discussão da emenda 3 ter saído do Congresso e que agora o debate sobre o tema vai acontecer "num nível melhor, com toda a sociedade, incluindo empresários".

A emenda 3 foi incluída por parlamentares na lei que criou a Super-Receita e vetada pelo presidente Lula no mês passado. Ela proíbe que os auditores fiscais multem e tenham o poder para desfazer pessoas jurídicas quando for constatado que a relação de prestação de serviços com uma outra empresa é, na verdade, uma relação trabalhista. Pelo texto aprovado no Congresso Nacional, apenas a Justiça do Trabalho teria esse poder.

As centrais sindicais foram contra a emenda porque temiam a precarização das relações trabalhistas.


Fonte: FOLHA ONLINE

 Outras Notícias

16/11/2018 - DESEMPREGO CAI PARA 11,9%, MAS AINDA ATINGE 12,5 MILHÕES DE BRASILEIROS

16/11/2018 - DESEMPREGO É MAIOR ENTRE NORDESTINOS, MULHERES E NEGROS, DIVULGA IBGE

14/11/2018 - LUCRO LÍQUIDO DO BANRISUL SOBE 31,6% NO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2018

14/11/2018 - GILMAR MENDES TRAVA PAGAMENTO DE AÇÕES NA JUSTIÇA DE PLANOS ECONÔMICOS

14/11/2018 - COMO O PT ‘APARELHOU’ O BANCO DO BRASIL

13/11/2018 - CENTRAIS SINDICAIS DEBATEM REFORMA DA PREVIDÊNCIA

13/11/2018 - BOLSONARO E O DESEMPREGO

13/11/2018 - CAIXA ECONÔMICA CONFIRMA QUE DECISÃO DO STF SOBRE FGTS NÃO GERA DIREITOS EM 2018

13/11/2018 - AUTÔNOMO TEM DE GANHAR O DOBRO DE TRABALHADOR CLT PARA MANTER PADRÃO

13/11/2018 - GOVERNO DE BOLSONARO VAI PROMOVER CORTE DE CARGOS EM BANCOS ESTATAIS

  Sindicalize-se
+ Detalhes  
  Eventos
FESTA DOS BANCÁRIOS...
+ Detalhes
Itajaí - SC | Rua José Ferreira da Silva, 48 - Cx. Postal 118 - Centro | Telefone: (47) 3348-6374 |||  By Vale da Web
Copyright © 2018 SEEBI. Todos os Direitos Reservados.