BRASIL: "ÚNICO PA͍S NO MUNDO ONDE O POVO QUE É ROUBADO
É O MESMO QUE DÁ PODER AO LADRÃO"
Ações Jurídicas
Artigos
Base Territorial
Convenções e Acordos Coletivos
Convênios
Denúncia contra Bancos
Diretoria
Esportes
Eventos
Fale conosco
Índices de Reajustes Salariais
Links
Localização / sede
Matérias
Notícias
Noticias jurídicas
Notícias RSS
Saúde
Segurança Bancária
Sindicalize-se
Untitled Document
NOTÍCIAS
Gerais
Jurídicas
RSS
Saúde
Segurança Bancária
 Notícias Gerais

Confira as últimas notícias Gerais :

28/05/2007 - NOVA CENTRAL SINDICAL EM DEBATE

A partir de julho, a Central Autônoma de Trabalhadores (CAT), a Confederação Geral dos trabalhadores (CGT), a Social Democracia Sindical (SDS) e sindicatos independentes se tornarão uma única central sindical: a União Geral dos Trabalhadores (UGT). A unificação foi discutida sábado, em Curitiba, entre representantes regionais das entidades. O objetivo da união é alcançar mais força e representatividade.

De acordo com o presidente da SDS no Paraná, Paulo Rossi, a unificação vem sendo discutida desde o final de 2006. Já está confirmada e será feita entre os dias 19 e 21 de julho, durante congresso em São Paulo. “Hoje, as grandes fusões são uma tendência mundial. As grandes empresas se unem, formam os grandes blocos e os trabalhadores ficam à mercê dessa situação. Seguindo essa tendência, os trabalhadores resolveram se unir para poder fazer frente em defesa de seus direitos”, afirma.

Segundo Rossi, esta é a primeira vez no Brasil e no mundo que três grandes centrais sindicais se unificam. O presidente da UGT será Ricardo Patah, presidente do Sindicato dos Comerciários de São Paulo, ex-dirigente da Força Sindical. “A UGT vem com novas propostas, uma delas é defender o direito dos trabalhadores sem carteiras assinadas que estão ou na informalidade ou nas micro e pequenas empresas. Além disso vai defender várias propostas de reforma: estrutural, tributária, sindical e trabalhista”, explica Rossi.

O presidente da nacional da CAT, Laertes da Costa, comenta que o que muda é principalmente o “equilíbrio de força dos sindicatos brasileiros”. “As centrais sindicais ficarão maiores, com mais força e representatividade. Hoje existe muita divisão. Precisamos eliminar isso, partindo para a unificação. Com menos interlocutores o diálogo fica mais fácil”, conclui. Representante da executiva nacional da CGT, Tereza Cristina Delgado ainda completa que a UGT será uma “unidade de ação”. A intenção, segundo ela, é ter uma central crítica e atrelada aos interesses dos trabalhadores, “é criar um verdadeiro bioma dos trabalhadores”, cujo desafio é a inclusão.


Fonte: PARANÁ ONLINE

 Outras Notícias

20/07/2018 - NEGOCIAÇÃO COM A CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

19/07/2018 - REFORMA TRABALHISTA SEGUE PROPAGANDA ENGANOSA NO PAÍS SEM CARTEIRA ASSINADA

18/07/2018 - DIFERENÇA DE TARIFA ENTRE BANCOS CHEGA A 260%

18/07/2018 - DÍVIDA DE APOSENTADOS COM EMPRÉSTIMO SOBE R$ 39 MI POR DIA

18/07/2018 - ITAÚ CHEGA AO MERCADO DE MAQUININHAS DE CARTÃO

18/07/2018 - COMO USAR AS NOVAS REGRAS DO CHEQUE ESPECIAL PARA SAIR DO VERMELHO

18/07/2018 - PAGAMENTO DO 13º DE APOSENTADOS COMEÇA EM AGOSTO; VEJA O CALENDÁRIO DO INSS

17/07/2018 - SÓ SINDICALIZADOS PODEM RECEBER BENEFÍCIOS DE ACORDO COLETIVO

17/07/2018 - TRÊS INSTITUIÇÕES LIDERAM RANKING DE RECLAMAÇÕES CONTRA BANCOS

17/07/2018 - PAÍS DEIXA DE CRIAR 80% DAS VAGAS DE TRABALHO PREVISTAS

  Sindicalize-se
+ Detalhes  
  Eventos
FESTA DOS BANCÁRIOS...
+ Detalhes
Itajaí - SC | Rua José Ferreira da Silva, 48 - Cx. Postal 118 - Centro | Telefone: (47) 3348-6374 |||  By Vale da Web
Copyright © 2018 SEEBI. Todos os Direitos Reservados.