BRASIL: "ÚNICO PA͍S NO MUNDO ONDE O POVO QUE É ROUBADO
É O MESMO QUE DÁ PODER AO LADRÃO"
Ações Jurídicas
Artigos
Base Territorial
Convenções e Acordos Coletivos
Convênios
Denúncia contra Bancos
Diretoria
Esportes
Eventos
Fale conosco
Índices de Reajustes Salariais
Links
Localização / sede
Matérias
Notícias
Noticias jurídicas
Notícias RSS
Saúde
Segurança Bancária
Sindicalize-se
Untitled Document
NOTÍCIAS
Gerais
Jurídicas
RSS
Saúde
Segurança Bancária
 Notícias Gerais

Confira as últimas notícias Gerais :

18/06/2007 - BANCOS INDUZEM CONSUMIDOR A...

abandonar cheque.

Qualquer um com conta em banco já deve ter notado os incentivos para o pagamento de contas por meio de cartões, tanto de débito quanto de crédito, e também para o débito automático. Em contrapartida, o uso do cheque pesa cada vez mais no bolso dos consumidores.

Hoje existem tarifas para a emissão de cheques de baixo valor --inferiores a R$ 40-- e até de alto valor --acima de R$ 5.000.

Quando se emite, por exemplo, um cheque de R$ 20, o cliente gasta de R$ 0,50 a R$ 0,70 a mais. Se o cheque for de R$ 6.000, o gasto adicional pode variar entre R$ 5,40 e R$ 7,80.

A cobrança destes tipos de tarifas fazem parte, segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), de uma campanha de "moralização" do uso dos cheques. Para a federação, a segurança nas transações bancárias eletrônicas é maior, e as instituições induzem os clientes a usá-las.

Ainda para a Febraban, os clientes não podem se esquecer que o cheque é um título de crédito, e não numerário.

"Depois do Plano Real, com as baixas taxas de juros, os bancos precisaram encontrar formas de manter seu faturamento. Isso se refletiu na cobrança de tarifas", afirma Carlos Eduardo Oliveira Junior, conselheiro do Corecon (Conselho Regional de Economia).

A Febraban informa que a cobrança das tarifas é permitida pelo Banco Central. A única exigência é que elas sejam informadas ao governo e que fiquem à disposição dos clientes nas agências, em local visível. Não há um teto para as tarifas, pois os bancos têm direito à livre concorrência.

O Procon-SP (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor) orienta o cliente a ficar atento quanto às cobranças e a questionar os bancos sempre que houver dúvidas.

Uso menor, custo maior

Pesquisas recentes mostram que o uso dos cheques vem caindo no país --resultado da criação de novas formas de pagamento, como os cartões de débito, e também da campanha dos bancos para o uso consciente dos cheques.

Segundo a Serasa (empresa de análise de crédito), desde 1991 houve redução de 48% no volume de cheques compensados. "A maior queda é registrada a partir de 1994, quando começou o controle efetivo da inflação", diz Carlos Henrique de Almeida, assessor econômico da empresa.


Fonte: FOLHA ONLINE

 Outras Notícias

13/11/2018 - CENTRAIS SINDICAIS DEBATEM REFORMA DA PREVIDÊNCIA

13/11/2018 - BOLSONARO E O DESEMPREGO

13/11/2018 - CAIXA ECONÔMICA CONFIRMA QUE DECISÃO DO STF SOBRE FGTS NÃO GERA DIREITOS EM 2018

13/11/2018 - AUTÔNOMO TEM DE GANHAR O DOBRO DE TRABALHADOR CLT PARA MANTER PADRÃO

13/11/2018 - GOVERNO DE BOLSONARO VAI PROMOVER CORTE DE CARGOS EM BANCOS ESTATAIS

13/11/2018 - BANCO HSBC PLANEJA RETORNAR PARA O BRASIL

12/11/2018 - GRANDES BANCOS LUCRAM 12,7% MAIS NO 3º TRI E SINALIZAM MAIOR APETITE POR CRÉDITO

12/11/2018 - CAMPANHA JÁ SUPERA 2 MILHÕES DE ASSINATURAS CONTRA AUMENTO DE SALÁRIO DO STF

12/11/2018 - UM ANO DE VIGÊNCIA DA REFORMA TRABALHISTA, NÃO GEROU EMPREGO E PRECARIZOU TRABALHO

12/11/2018 - REFORMA TRABALHISTA FOI A MAIOR PROPAGANDA ENGANOSA DO GOVERNO TEMER

  Sindicalize-se
+ Detalhes  
  Eventos
FESTA DOS BANCÁRIOS...
+ Detalhes
Itajaí - SC | Rua José Ferreira da Silva, 48 - Cx. Postal 118 - Centro | Telefone: (47) 3348-6374 |||  By Vale da Web
Copyright © 2018 SEEBI. Todos os Direitos Reservados.