BRASIL: "ÚNICO PA͍S NO MUNDO ONDE O POVO QUE É ROUBADO
É O MESMO QUE DÁ PODER AO LADRÃO"
Ações Jurídicas
Artigos
Base Territorial
Convenções e Acordos Coletivos
Convênios
Denúncia contra Bancos
Diretoria
Esportes
Eventos
Fale conosco
Índices de Reajustes Salariais
Links
Localização / sede
Matérias
Notícias
Noticias jurídicas
Notícias RSS
Saúde
Segurança Bancária
Sindicalize-se
Untitled Document
NOTÍCIAS
Gerais
Jurídicas
RSS
Saúde
Segurança Bancária
 Notícias Gerais

Confira as últimas notícias Gerais :

21/06/2007 - TURMA CONDENA CVC A PAGAR INDENIZAÇÃO A...

consumidores por conduta negligente e desidiosa.

A operadora de turismo CVC foi condenada a pagar indenização a dois amigos que tiveram a viagem dos sonhos ao exterior transformada em pesadelo. Ao desembarcar em Paris, eles foram deixados pelo guia turístico, passaram dois dias dentro do hotel e acabaram perdendo o passeio à cidade de Londres. Os desembargadores classificaram a forma como os passageiros foram tratados pela empresa como “negligente e desidiosa”.

O pacote adquirido na operadora incluía as capitais Paris, Londres e Bruxelas. Mas já no início, a viagem começou a dar errado. Logo que encontraram o hotel indicado pela CVC, foram orientados a aguardar pelo guia que os conduziria nos passeios. Horas de espera e nada do profissional chegar.

Depois de muito aguardar, os turistas souberam que a excursão já tinha saído e que não havia a menor possibilidade de voltar atrás para buscá-los. Quando entraram em contato com a empresa no Brasil foram informados de que a única saída seria iniciar o passeio por eles mesmos. Só que nenhum dos dois conhecia as cidades. Frustrados, telefonaram diversas vezes para casa. Só em contatos telefônicos foram 90 euros.

Para os desembargadores houve nítida falha na prestação de serviços da CVC. Toda a orientação deveria ser clara, ainda mais em se tratando de países desconhecidos, com outra língua e culturas diferentes. E se o profissional indicado para conduzir os passeios foi negligente, a obrigação da operadora era tomar providências para garantir a segurança e satisfação dos clientes, que pagaram pelo serviço.

O dano moral foi fixado em R$ 5 mil para cada um, conforme entendimento da maioria. Um dos desembargadores discordou do valor por considerá-lo excessivo, estabelecendo em R$ 2 mil para cada. A condenação tem relação direta com a conduta negligente da empresa: “O descaso com que foram tratados em situação de necessidade e desespero restou nítido e, com certeza, se de outra maneira tivesse se comportado a agência de turismo diante de tal situação o desenrolar dos fatos não teria sido tão desastroso”, avaliaram.


Fonte: TJDFT

 Outras Notícias

16/11/2018 - DESEMPREGO CAI PARA 11,9%, MAS AINDA ATINGE 12,5 MILHÕES DE BRASILEIROS

16/11/2018 - DESEMPREGO É MAIOR ENTRE NORDESTINOS, MULHERES E NEGROS, DIVULGA IBGE

14/11/2018 - LUCRO LÍQUIDO DO BANRISUL SOBE 31,6% NO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2018

14/11/2018 - GILMAR MENDES TRAVA PAGAMENTO DE AÇÕES NA JUSTIÇA DE PLANOS ECONÔMICOS

14/11/2018 - COMO O PT ‘APARELHOU’ O BANCO DO BRASIL

13/11/2018 - CENTRAIS SINDICAIS DEBATEM REFORMA DA PREVIDÊNCIA

13/11/2018 - BOLSONARO E O DESEMPREGO

13/11/2018 - CAIXA ECONÔMICA CONFIRMA QUE DECISÃO DO STF SOBRE FGTS NÃO GERA DIREITOS EM 2018

13/11/2018 - AUTÔNOMO TEM DE GANHAR O DOBRO DE TRABALHADOR CLT PARA MANTER PADRÃO

13/11/2018 - GOVERNO DE BOLSONARO VAI PROMOVER CORTE DE CARGOS EM BANCOS ESTATAIS

  Sindicalize-se
+ Detalhes  
  Eventos
FESTA DOS BANCÁRIOS...
+ Detalhes
Itajaí - SC | Rua José Ferreira da Silva, 48 - Cx. Postal 118 - Centro | Telefone: (47) 3348-6374 |||  By Vale da Web
Copyright © 2018 SEEBI. Todos os Direitos Reservados.